CFF faz comunicado aos farmacêuticos sobre uso de cloroquina e hidroxicloroquina

O CFF publicou um comunicado aos farmacêuticos falando sobre sua responsabilidade profissional e o uso da cloroquina e hidroxicloroquina em pacientes com Covid-19.
CFF libera comunicado sobre uso da cloroquina e hidroxicloroquina
Foto: freepik

Em carta aberta publicada na terça-feira (26/05), o Conselho Federal de Farmácia (CFF) informa aos farmacêuticos e à sociedade sua inquietação com o uso da cloroquina e da hidroxicloroquina no tratamento de pacientes com Covid-19, reforçando o papel dos profissionais do setor de proteger a população de práticas impróprias e danosas.

No documento, o Conselho afirma que o compromisso com a promoção do uso racional de medicamentos é sua responsabilidade social e, por isso, está preocupado com o rumo das discussões sobre o enfrentamento da pandemia no Brasil.

Cloroquina e hidroxicloroquina

No dia 20 de maio, o Ministério da Saúde publicou um novo documento com orientações para o tratamento precoce dos pacientes com coronavírus, em que se expande o acesso a tratamentos farmacológicos no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). Dessa forma, o médico pode prescrever a cloroquina e a hidroxicloroquina aos pacientes com sintomas leves e moderados da doença, desde que seja preenchido o termo de consentimento e ciência – ou seja, o uso off label fica autorizado, ainda que não conste na bula dos medicamentos aprovados pela Anvisa.

A utilização desses medicamentos, associados ou não à azitromicina, baseia-se nas propriedades farmacológicas deles, mas ainda faltam evidências conclusivas sobre a sua eficácia e segurança. Contudo, o CFF relembra o risco de eventos adversos, como arritmia cardíaca, podendo chegar à taquicardia ou fibrilação ventricular e, em determinadas circunstâncias, à morte dos pacientes.

Estudos científicos e OMS

Na última semana, a revista científica The Lancet divulgou um estudo sobre os efeitos da cloroquina e hidroxicloroquina em pacientes hospitalizados com Covid-19, comprovando a falta de benefícios dos medicamentos ao tratamento e a diminuição de sobrevida hospitalar. Por esse motivo, a Organização Mundial da Saúde (OMS) anunciou a interrupção dos testes com os medicamentos até que haja revisão da eficácia e segurança.

Responsabilidade farmacêutica

O Conselho reforça a responsabilidade dos profissionais de farmácia na dispensação de medicamentos e no acolhimento dos pacientes, “de modo a garantir a melhor orientação possível sobre os riscos e cuidados no uso desses medicamentos, seja na sua indicação aprovada para o tratamento de pacientes com malária, artrite reumatoide ou lúpus eritematoso sistêmico, seja na excepcionalidade do uso off label, com especial atenção às prescrições para o tratamento da Covid-19, enfatizando com o paciente todas as precauções necessárias”.

Outro ponto apresentado pelo CFF na carta é a Resolução CFF nº 357/2002, que aprova o regulamento técnico das boas práticas de farmácia, em que fica reconhecido o papel do farmacêutico na dispensação de medicamentos, e é atribuído a ele total autonomia na decisão de dispensar ou não, visando sempre à garantia de eficácia e a segurança da terapêutica prescrita.

Além disso, no Código de Ética da profissão farmacêutica, no artigo 14, inciso XXIII, da Resolução CFF nº 596/2014, fica estabelecido que o farmacêutico é proibido de “fornecer, dispensar ou permitir que sejam dispensados, sob qualquer forma, substância, medicamento ou fármaco para uso diverso da indicação para o qual foi licenciado, salvo quando baseado em evidência ou mediante entendimento formal com o prescritor”.

Com isso, o Conselho reitera que o uso empírico de um medicamento (off label) não isenta o farmacêutico do respeito à técnica, ao rigor científico e às normas legais e bioéticas vigentes no Brasil.

Leia a carta na íntegra.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on google
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Notícias Canal Farma

Receba notícias, conteúdos e vídeos do YouTube sobre o setor farmacêutico com nosso canal no Telegram.

Millenium distribuidora referência no mercado pharma Espírito Santo e Rio de Janeiro

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Receba nossa Newsletter

Para notícias e ofertas exclusivas, digite seu e-mail abaixo.

loading...

Receba as principais notícias direto no celular

Mais lidas

Vídeo - É de Farmácia