EnglishPortugueseSpanish

Sanofi e GSK unem forças para desenvolver vacina para combater Covid-19

A Sanofi e a GSK unirão forças no segundo semestre de 2020 para começar estudos clínicos que poderão levar ao desenvolvimento de uma vacina para a Covid-19.
Sanofi e GSK se unem para desenvolver vacina contra Covid-19
Foto: freepik

A Sanofi e a GSK anunciaram, nesta quinta-feira (16/04), a assinatura de um acordo para a colaboração no desenvolvimento de uma vacina adjuvante para a Covid-19, usando tecnologia inovadora das duas empresas.

Participação das empresas

A Sanofi contribuirá com o antígeno Covid-19 da proteína S, baseado na tecnologia de DNA recombinante, que produziu uma correspondência genética exata com as proteínas encontradas na superfície do vírus. A sequência de DNA que codifica esse antígeno foi combinada no DNA da plataforma de expressão do baculovírus, a base do produto influenza recombinante licenciado pela Sanofi nos Estados Unidos.

Já a GSK contribuirá com sua tecnologia adjuvante pandêmica, que pode permitir a redução da quantidade de proteína da vacina necessária por dose, possibilitando que mais doses sejam produzidas e, consequentemente, mais pessoas sejam protegidas.

O CEO da Sanofi, Paul Hudson, explica que nesse momento de crise global de saúde nenhuma empresa pode enfrentar o problema sozinha: “É por isso que a Sanofi continua a complementar sua experiência e recursos com nossos colegas, como a GSK, com o objetivo de criar e fornecer quantidades suficientes de vacinas que ajudarão a interromper esse vírus”.

A CEO da GSK, Emma Walmsley, complementa a fala: “Essa colaboração reúne duas das maiores empresas de vacinas do mundo. Ao combinar nossa ciência e tecnologias, acreditamos que podemos ajudar a acelerar o esforço global para desenvolver uma vacina para proteger o maior número possível de pessoas da Covid-19”.

Busca por vacina para Covid-19

A combinação de um antígeno à base de proteínas e adjuvante já é utilizada em diversas vacinas disponíveis atualmente. O adjuvante é adicionado para melhorar a resposta imune e demonstrou criar uma imunidade mais forte e duradoura contra infecções do que somente a vacina, além de possibilitar uma fabricação em larga escala.

O objetivo das empresas é iniciar os ensaios clínicos da fase I no segundo semestre de 2020, e, se bem-sucedidas e sujeitas a considerações regulatórias, pretendem concluir o desenvolvimento necessário para a disponibilidade até o segundo semestre de 2021.

Apoio para os estudos clínicos

O desenvolvimento da vacina está sendo apoiado por meio de financiamento e uma colaboração com a Autoridade Biomédica de Pesquisa e Desenvolvimento Avançado (BARDA), nos Estados Unidos.  A Sanofi e a GSK desejam ainda discutir o apoio ao financiamento com outros governos e instituições globais.

O diretor da BARDA e Ph.D., Rick A. Bright, afirma que alianças estratégicas entre os líderes da indústria de vacinas são fundamentais neste momento: “O desenvolvimento do candidato a vacina Covid-19 recombinante adjuvante tem o potencial de diminuir a dose da vacina para fornecê-la ao maior número de pessoas para acabar com essa pandemia e ajudar o mundo a se preparar melhor ou até evitar futuros surtos de Coronavírus”.

Veja também: CFF se posiciona sobre comercialização e realização de testes de Covid-19 em farmácias

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on google
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email
Share on print
Millenium distribuidora referência no mercado pharma Espírito Santo e Rio de Janeiro

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Receba nossa Newsletter

Para notícias e ofertas exclusivas, digite seu e-mail abaixo.

City Farma - Invista na abertura de um bom negócio

Receba as principais notícias pelo nosso grupo

curta nossa fanpage

Mais lidas

Vídeo - É de Farmácia

Televendas Zamboni
Fechar Menu