EnglishPortugueseSpanish
Nesta entrevista exclusiva para a Revista da Farmácia, o diretor financeiro da RaiaDrogasil, Gustavo Maglioni, conta como implantou o Pix na rede.

Desde que chegou ao mercado financeiro para valer, em 16 de novembro, o Pix já está sendo utilizado por mais de 5 milhões de empresas, entre elas, farmácias e drogarias de todo porte. O Grupo RaiaDrogasil (RD) é um exemplo, pois 100% das lojas físicas estão aceitando pagamento com Pix. Nesta entrevista exclusiva para a Revista da Farmácia, o diretor financeiro da RaiaDrogasil, Gustavo Maglioni, conta como implantou o Pix na rede e quais estão sendo os efeitos dessa nova modalidade de pagamento.

Revista da Farmácia: Raia e Drogasil aderiram ao Pix?

Gustavo Maglioni: Sim, estamos aceitando PIX em 100% de nossas lojas físicas, tanto na bandeira Drogasil como na Droga Raia.

RF: Desde quando a nova tecnologia está sendo usada e como tem sido a aderência dos clientes? 

GM: Esse processo foi conduzido com bastante cuidado e diversos testes foram realizados antes da data do lançamento. Nós iniciamos um piloto no dia 16/11 com algumas lojas. A partir do momento em que a solução estabilizou, iniciamos o processo de roll-out para 100% das lojas. Esse processo foi concluído em 30/11. Por ser um novo meio de pagamento, é natural que o processo de aceitação seja gradual.  

RF: Foi complicado adaptar o sistema de checkout para receber via Pix? Que ajustes foram necessários para utilizar a nova tecnologia? 

GM: Adaptar o checkout para a aceitação de um novo meio de pagamento nunca é simples, pois envolve uma série de alterações, tanto do ponto de vista financeiro/contábil como de TI. Porém, dado que nossas lojas já operavam com carteira digital, o processo foi mais tranquilo. O fato de termos tablet nos checkouts em boa parte de nossas lojas também facilitou a implantação e a utilização pelos clientes.

RF: Houve algum custo de implantação? Quanto custou para vocês?

GM: Como toda nova operação, é necessário investimentos para adaptação, mas como companhia de capital aberto não podemos divulgar valores.

Leia também: Farmácias já podem receber pelo Pix

RF: Que retorno vocês estão tendo dos caixas? Está sendo funcional? Os clientes estão conseguindo usar? 

GM: Sim, o feedback que estamos tendo é muito bom, tanto do ponto de vista de operação como de nossos clientes.

RF: A confirmação do pagamento via Pix é automatizada?

GM: Sim. O recebimento do Pix ocorre de forma instantânea, e o crédito é disponibilizado imediatamente na conta corrente da companhia.

RF: O Pix não é de graça para as empresas. Quanto a Raia paga de taxa para fazer transações com o Pix?

GM: Como destaquei anteriormente, por sermos uma companhia de capital aberto, não podemos divulgar valores.

RF: Vocês acham que o Pix vai substituir o cartão de débito? O uso já caiu depois que implantaram o Pix? 

GM: Acreditamos que essa modalidade de pagamento tende a ser muito utilizada pelos clientes, por conta das facilidades e da isenção de custo para os usuários. Não acreditamos que o cartão de débito irá acabar, mas nossa expectativa é que ocorra uma migração gradual das transações de débito para o Pix.

Leia ainda: Farmácias do Rio de Janeiro já utilizam PIX

RF: Até o retorno dessa entrevista, quantas transações a Raia já havia realizado pelo Pix? Quanto já havia vendido pelo Pix em reais? 

GM: Por ainda estarmos no início da operação e aceitação dos clientes, os números ainda são muito incipientes, mas acreditamos que o Pix tem um potencial enorme de crescimento.

RF: Por fim, por que a rede tomou a decisão de aderir ao Pix? 

GM: O Pix traz diversas vantagens para o varejo, tanto do ponto de vista de fluxo de caixa, dado o recebimento instantâneo, como redução de custo se comparado com uma transação de débito. Outro ponto importante é permitir que o cliente escolha a forma de pagamento que lhe for mais conveniente.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on google
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email
Share on print

Notícias Canal Farma

Receba notícias, conteúdos e vídeos do YouTube sobre o setor farmacêutico com nosso canal no Telegram.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Fechar Menu