EnglishPortugueseSpanish

Como fazer o consultório farmacêutico dar certo?

Mariana Fischer fala sobre o sucesso do consultório farmacêutico da Farmácia do Leme
Foto: Humberto Teski

No dia 5 de novembro de 2019, o programa É De Farmácia recebeu a presença da farmacêutica da Farmácia do Leme, Mariana Fischer, para dar dicas de como implementar o consultório farmacêutico no estabelecimento e conquistar bons resultados.

Educação contribui para qualidade do consultório

Mariana, que é farmacêutica há sete anos e, desde o ano passado, está à frente da Farmácia do Leme, tem especialização em Farmácia Clínica Oncológica, Farmácia Hospitalar e, agora, está começando uma em Farmácia Clínica e Prescrição Farmacêutica.

Esse conhecimento contribui na atuação da farmacêutica no consultório, fazendo com que ela saiba lidar com as situações adversas que acontecem, com a equipe e com os serviços fornecidos de uma forma visionária e mais profissional.

“Esse trabalho é motivacional e muito desafiador porque é uma escola. Por mais que a gente ache que sabe bastante, estamos aprendendo no dia a dia. Você está sempre pesquisando e aprendendo para oferecer ao cliente/paciente um atendimento melhor”, diz Mariana.

Com a qualidade da assistência farmacêutica, o público acaba se fidelizando e voltando para fazer o acompanhamento do tratamento.

Farmácia é estabelecimento comercial ou de saúde?

Muitas pessoas se questionam se as farmácias são um estabelecimento comercial ou de saúde. Na visão da farmacêutica, a resposta são as duas coisas, como acontece na Farmácia do Leme. “A farmácia é bem ampla em termos de equipe, de espaço e de conscientização sobre o assunto, o que acaba transparecendo para os clientes, que passam a respeitar a farmácia como tal”.

Envolvimento da equipe com o consultório farmacêutico

Mariana revela que existe toda uma movimentação em prol da assistência farmacêutica. Por isso, todos os balconistas têm o conhecimento de aplicação de injetáveis, o que possibilita no suporte do trabalho. “O resto da equipe cria um respeito muito grande, e a maioria, como é leiga em assuntos farmacêuticos, acaba se interessando até em fazer a graduação”, conta.

Na Farmácia do Leme, são 64 funcionários ao todo, sendo três farmacêuticos com especialização em Farmácia Clínica e seis técnicos de injetáveis atuando diretamente com o consultório.

Auxílio de plataformas é essencial

Mariana revela que, toda vez que o cliente da farmácia entra no consultório, ele se torna um paciente. E, com a ajuda do sistema de gestão do consultório, é possível fazer uma ficha para cada um deles com todas as informações necessárias para realizar o melhor atendimento.

“É possível ajudar no acompanhamento médico. Por exemplo, quando o paciente é hipertensivo e está sempre com a gente, posso enviar todo o histórico dele para o cardiologista, dando uma base para esse médico”, explica a farmacêutica.

Fatores que contribuem para o sucesso do consultório

Além da profissionalização da equipe envolvida, é preciso que todos gostem de trabalhar com isso – é preciso ter paciência e saber lidar com todos os tipos de pessoas. “Muita gente contextualiza coisas pessoais dentro do consultório e nós devemos lidar com isso de forma ética e profissional”, afirma Mariana.

A apresentação do espaço também é muito importante. “A pessoa precisa ter certeza de que vai encontrar saúde dentro da farmácia”, diz a farmacêutica.

Quanto à cobrança dos serviços oferecidos, Mariana concorda com ela. “Com o tempo, o cliente começa a entender e até pagar com gosto. No entorno da Farmácia do Leme, existem algumas farmácias que não cobram, mas o cliente chega falando que prefere pagar porque é bem tratado e sente segurança”.

Atendimento na Farmácia do Leme

A farmacêutica conta que, em média, são realizados de 25 a 30 atendimentos diários no consultório do estabelecimento. Desses, 90% têm de 70 a 80 anos de idade, mas a equipe está pronta para ajudar, também, a mãe que chega apreensiva para furar a orelha do filho recém-nascido, o turista e qualquer outro tipo de cliente. “A farmácia precisa conhecer o público que está no seu entorno para melhor atendê-lo”, afirma.

Ela conta ainda que o maior desafio de realizar esse atendimento é contextualizar e se ajudar para poder fazer isso pelo cliente. “A gente tem que saber, tem que olhar. Se chegar alguém falando de um medicamento novo, vamos procurar saber e estudar. Para poder dar certo, tem que estar se atualizando sempre”, finaliza Mariana.

Veja também:Cinco passos para prestar serviços de saúde com qualidade

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on google
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email
Share on print
Maxcenter Drogarias Max

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Receba nossa Newsletter

Para notícias e ofertas exclusivas, digite seu e-mail abaixo.

City Farma - Invista na abertura de um bom negócio

Receba as principais notícias no seu Whatsapp

curta nossa fanpage

Mais lidas

Vídeo - É de Farmácia

Televendas Zamboni
Fechar Menu