EnglishPortugueseSpanish

Conselhos garantem vitória à profissão no julgamento de recurso do processo contra técnico em farmácia

Decisão do STF afirma que apenas farmacêutico pode ser RT em farmácias
Foto: shutterstock

O Supremo Tribunal Federal (STF) definiu, nesta quinta-feira (20/8), que a responsabilidade técnica em farmácias e drogarias é exclusiva do farmacêutico registrado nos conselhos profissionais, como prevê a Lei Federal nº 13.021/14. A vitória foi obtida no julgamento do recurso movido pelo proprietário de farmácia que pleiteava a responsabilidade técnica em sua drogaria no município de Contagem (MG).

O presidente do Conselho Federal de Farmácia (CFF), Walter da Silva Jorge João, afirma que a vitória é fruto da vigilância e do empenho dos Conselhos de Farmácia na defesa de sua atuação: “Neste caso específico, os Conselhos de Farmácia, como os únicos e legítimos representantes da categoria no processo, tiveram uma atuação especialmente contundente, que garantiu a vitória em todas as instâncias”.

Julgamento

Walter complementa dizendo que foi primordial a contratação, pelos Conselhos, de um dos escritórios de advocacia mais importantes do país e também a obtenção de cinco pareceres favoráveis – da Procuradoria Geral da República (PGR), Advocacia-Geral da União (AGU), Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Consultoria Jurídica do Ministério da Saúde e Secretaria de Ciência e Tecnologia do Ministério da Saúde.

Júnia Célia de Medeiros, presidente do CRF-MG, destacou a importância da união da classe farmacêutica: “Essa união foi fundamental para que os Conselhos permanecessem fortes e vigilantes na defesa da nossa profissão. Por isso, juntamente com o CFF, foram tomadas todas as providências cabíveis para assegurar o nosso direito como farmacêuticos”.

Entenda o caso

O processo em questão foi iniciado quando o CRF-MG negou a um profissional sem curso superior o pedido de inscrição como técnico em farmácia para assumir a responsabilidade técnica da sua drogaria, em Contagem. Em 1º grau, foi permitido ao profissional o direito de inscrição no Conselho Regional, mas negada a assunção à condição de RT.

A decisão foi mantida pelo Tribunal Regional Federal (TRF) da 1ª Região e, posteriormente, pelo Superior Tribunal da Justiça (STJ). O processo começou a ser julgado na sexta-feira (14/8) e foi definido na quinta-feira (20/8).

Gustavo Semblano, consultor jurídico da Ascoferj, explica que, mesmo após a decisão, ainda pode haver mudança. “O julgamento virtual ainda não terminou e, em tese, os ministros que já votaram podem mudar seus votos. Assim, somente se poderá afirmar este ou aquele resultado quando concluída a sessão virtual”.

Veja também: Anvisa autoriza ensaio clínico de vacina produzida pela Johnson-Johnson

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on google
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email
Share on print
Millenium distribuidora referência no mercado pharma Espírito Santo e Rio de Janeiro

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Receba nossa Newsletter

Para notícias e ofertas exclusivas, digite seu e-mail abaixo.

City Farma - Invista na abertura de um bom negócio

Receba as principais notícias pelo nosso grupo

curta nossa fanpage

Mais lidas

Vídeo - É de Farmácia

Televendas Zamboni
Fechar Menu