EnglishPortugueseSpanish

Impactos da Covid-19 no mercado farma e tendências para 2021

Abrafarma Future Trends revela tendências para 2021
Foto: shutterstock

O pré-evento da edição online do Abrafarma Future Trends trouxe os principais impactos da pandemia da Covid-19 no mercado farmacêutico brasileiro e em quais tendências esse segmento deverá prestar atenção em 2021.

Volume de prescrições

Segundo Paulo Paiva, vice-presidente LATAM da Close-up International, o volume de prescrições apresentou queda do 1º para o 2º trimestre de 2020. Nos primeiros três meses, foram 33,2 milhões de prescrições e, nos três meses seguintes, foram 27,6 milhões.

“A queda de 17% ocorreu devido à diminuição do número de consultas, já que o País vivia o seu período de isolamento social com mais intensidade. Muitas pessoas deixaram de procurar um médico para evitar se expor ao risco de contaminação em clínicas e hospitais. Apesar da telemedicina, o número de prescrições teve queda acentuada. Em julho de 2020, após afrouxamento nas medidas de isolamento, o número voltou a subir”, analisa Paiva.

Impactos e tendências para 2021

O vice-presidente da Close-up mencionou ainda os principais impactados da Covid-19 no segmento varejista farmacêutico e as tendências para os próximos meses e para o ano de 2021, entre eles:

– Telemedicina: incentivada durante a pandemia, a telemedicina, ainda que não possa ser utilizada em todos os casos de saúde, tem feito alguns médicos temerem a perda de valor na consulta presencial;

– Engajamento digital: ainda que 92% da classe médica prefira voltar ao modelo de visitação para promoção médica, há uma maior aceitação do engajamento digital, o que deixa a indústria livre para tentar novas estratégias;

– Genéricos: a pandemia vem impactando fortemente a renda do consumidor, o que permite que os genéricos consigam no futuro penetrar mais rapidamente no mercado de medicamentos de prescrição;

– Patologias ligadas ao Sistema Nervoso Central (SNC): um estudo da Associação Brasileira de Psiquiatria evidenciou um possível aumento no número de prescrições de medicamentos para tratamento de doenças ligadas ao SNC;

– Cenário de supply: poderá haver uma migração estratégica de princípios ativos para outras regiões do planeta, atualmente concentrados na China e Índia;

– Impacto econômico: diversos cenários apontam queda do PIB brasileiro em torno de 4,5%, o que leva ao aumento do desemprego e das dificuldades financeiras da população;

E-commerce: teve bastante adesão durante a pandemia, mas terá nas lojas físicas um grande concorrente quando a situação mundial se regularizar. Ainda assim, deverá estar presente nos próximos anos;

– Modelo de loja: caso haja uma extensão da pandemia, as lojas poderão apresentar o conceito de drugstore, ampliando as opões de produtos dentro das farmácias;

– Abertura de lojas: a duração da pandemia pode levar ao fechamento de lojas em áreas comerciais e à abertura em áreas mais residenciais das cidades;

– Novos serviços: a tendência é que novos serviços sejam oferecidos nas farmácias, pois a demanda por soluções em saúde – vacinas, exames, consultas médicas – mais próximas das residências crescerá no futuro;

– Sortimento: será necessário incrementar os itens disponibilizados nas lojas, pois a frequência de compra do consumidor tende a diminuir e, com isso, a lista de compras cresce.

Veja também: Abrafarma Future Trends estreia edição online com dados atualizados do setor

 

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on google
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email
Share on print
Millenium distribuidora referência no mercado pharma Espírito Santo e Rio de Janeiro

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Receba nossa Newsletter

Para notícias e ofertas exclusivas, digite seu e-mail abaixo.

City Farma - Invista na abertura de um bom negócio

Receba as principais notícias pelo nosso grupo

curta nossa fanpage

Mais lidas

Vídeo - É de Farmácia

Televendas Zamboni
Fechar Menu