Farmais renasce e volta com nova proposta para a franquia

A franquia reestruturou-se e está de volta ao mercado depois de um período difícil com a falência da holding que administrava a rede, a Brasil Pharma, em 2019.

A franquia Farmais reestruturou-se e está de volta ao mercado depois de um período difícil e de muita turbulência com a falência da holding que administrava a rede, a Brasil Pharma, em 2019. Um grupo de 34 franqueados comprou a marca, fez mudanças profundas no modelo da rede, planeja multiplicar o faturamento de R$ 720 milhões para R$ 2 bilhões com seu plano de expansão e prevê uma futura abertura de capital. Nesta entrevista, conversamos com o sócio e novo presidente, Ricardo Uemura. Leia a seguir.

Revista da Farmácia: O que levou os franqueados a concluírem que investir na marca ainda seria um bom negócio depois da falência da holding que administrava a Farmais em 2019?

Ricardo Uemura: Nós sabíamos que a marca era – e continua sendo – muito forte e que estava sendo mal trabalhada. Ficamos abandonados por muito tempo e, com isso, os franqueados foram muito afetados. Sentíamos que a gestão não ia bem e começamos a nos preparar, mas sem saber o que iria acontecer. Quando realmente foi decretada a falência, os franqueados ficaram ainda mais abandonados e começamos a nos organizar, pois além da marca ser muito forte, existia um amor dos franqueados, o que nos uniu e fortaleceu ainda mais nossa marca.

Leia também: Comprada por grupo de franqueados, Farmais inicia plano de expansão nacional

RF: Como resgatar a credibilidade perdida no mercado para que seja possível atingir a meta de 50 novas unidades abertas ainda neste ano?

Ricardo Uemura: Fizemos uma grande reorganização durante esses 18 meses desde a aquisição da marca. Rodamos todos os estados e ouvimos quase 95% do franqueados. Fizemos ajustes no que estava ruim para o franqueado, criamos serviços que não tínhamos, colocamos a Farmais novamente no mercado e, com isso, conseguimos voltar a ter credibilidade com os franqueados. Temos que recuperar o tempo perdido. Na nova gestão, já acumulamos 25 novas unidades e estamos focados em atingir nossa meta ainda este ano.

RF: A Farmais tem dívidas adquiridas no período em que foi administrada pela BR Pharma?

Ricardo Uemura: Compramos somente a marca Farmais, sem nenhum passivo. Não compramos nada além da marca e tivemos que começar tudo do zero novamente. Não veio nenhum passivo da antiga gestão.

RF: Até 2023, a meta é alcançar R$ 2 bilhões de faturamento, com 500 pontos de venda. Como a direção da rede planeja atingir essa meta?

Ricardo Uemura: Estamos buscando novos franqueados de conversão, ou seja, farmácias independentes que precisam de ajuda para disputar o mercado com grandes redes e que ainda são muitas no Brasil todo, e novos investidores. Temos estrutura e conhecimento de suporte para todos os tipos de empresários e já estamos em negociações em vários estados.

RF: Como vocês estão se preparando para entrar no mercado de ações?

Ricardo Uemura: Estamos estruturando a Farmais desde o começo para poder crescer de forma organizada e preparada para um futuro IPO. Para isso, contamos com grandes consultorias especializadas que nos auxiliam nesses assuntos.

RF: Que diferenciais a Farmais está oferecendo para superar a concorrência com outras franquias?

Ricardo Uemura: Estamos trazendo tudo o que há de mais moderno no mercado. Sabemos das dores que o franqueado sente, pois também somos franqueados e isso é um dos nossos pontos fortes. Temos trabalhado com empresas especializadas no nosso segmento, o que nos dá mais segurança na reorganização da Farmais. Outro ponto forte é que somos fissurados em tecnologia e estamos fazendo muitos investimentos nesse sentido, criando uma Farmais preparada para o digital.

RF: Atualmente, os modelos de associativismo e licenciamento parecem ganhar mais terreno do que a franquia? Isso poderia significar que o varejo farmacêutico prefere modelos mais flexíveis?

Ricardo Uemura: Hoje o associativismo e licenciamento estão em destaque, pois temos poucas franquias expressivas no mercado nesse segmento. O modelo de franquia ainda é um excelente negócio, pois temos todas as regras de franchising e podemos ser flexíveis de acordo com o mercado e a região onde estão nossos franqueados.

Visite o Canal da Ascoferj!

 

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on google
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email
Share on print

Notícias Canal Farma

Receba notícias, conteúdos e vídeos do YouTube sobre o setor farmacêutico com nosso canal no Telegram.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.