EnglishPortugueseSpanish

PF investiga sonegação fiscal e lavagem no setor farmacêutico. Citada, Abradilan divulga nota

Investigação de sonegação fiscal no setor farmacêutico
Foto: freepik

A Secretaria da Fazenda e Planejamento do Estado do São Paulo iniciou, nesta quinta-feira (1/10), a segunda fase da Operação Monte Cristo, contra sonegação fiscal e lavagem de dinheiro por empresas do setor farmacêutico. A ação, noticiada pelo portal da CNN na manhã de hoje, é realizada em 32 cidades de São Paulo, e também em Minas Gerais e Goiás. Em um dos endereços em São Paulo, os agentes encontraram um gaveteiro com R$ 5 milhões em espécie. O total deve ser de mais de R$ 12 milhões.

Operação Monte Cristo

São cumpridos 88 mandados de busca e apreensão em endereços empresariais e residenciais de pessoas ligadas aos esquemas nos três estados. Além disso, também foi autorizado o sequestro de 17 imóveis.

As fraudes seriam cometidas por grupos empresariais responsáveis pela distribuição de medicamentos no estado de São Paulo e também redes de farmácias. Autoridades estimam que o esquema pode ter causado um prejuízo de cerca de R$ 10 bilhões aos cofres estaduais e federais nos últimos seis anos.

Os alvos são as distribuidoras Medicamental, Navarro, Dismed, TFarma e Divamed, as redes varejistas Bifarma e Campeã, e a Associação Brasileira de Distribuição e Logística de Produtos Farmacêuticos (Abradilan).

No fim da tarde de hoje (01/10), a Abradilan divulgou uma nota em que afirma que a medida contra a Abradilan é um equívoco por parte das autoridades envolvidas. “A Abradilan não é uma entidade comercial, mas uma entidade representativa de classe, que tem mais de 140 empresas associadas. A Abradilan não vende, não compra, não estoca produtos e não incentiva qualquer prática, não tendo qualquer envolvimento nas ações comerciais de seus membros”, diz a nota.
A entidade disse ainda que apoia toda e qualquer medida que contribua para a transparência no mercado farmacêutico, mas não pode deixar de manifestar surpresa e estranheza com o seu nome mencionado neste processo.

Primeira fase da operação

A investigação começou há três anos, com a primeira fase da operação. Na época, o alvo era a rede de farmácias Farma conde, da região do Vale do Paraíba. Nesse período, foram firmados acordos de delação premiada com alguns dos investigados, que renderam confissões e pagamentos de débitos fiscais de aproximadamente R$ 340 milhões.

Segundo os colaboradores, diversos grupos criminosos implementaram mecanismos de fraude fiscal no segmento farmacêutico, com a aquisição de produtos de uma empresa sediada em Goiás e com as distribuidoras paulistas – algumas de fachada -, responsáveis por recolher o ICMS devido por antecipação tributária na entrada da mercadoria no estado de São Paulo.

A Secretaria da Fazenda informou que os delatores indicaram ainda a participação de uma associação nacional de distribuidores de medicamos nos esquemas, e da indústria farmacêutica em outros tipos de fraudes.

No segundo caso, a fraude consistiu na criação de atacadistas de medicamentos em Goiás e São Paulo que atuavam como intermediárias entre os laboratórios fabricantes e os destinatários finais. Assim, os ônus tributários do ICMS ficavam com as empresas de fachada ou incapazes de honrar os débitos.

O objetivo, com as fraudes, era proporcionar às empresas envolvidas a redução do custo dos produtos, pois as companhias interpostas não faziam os recolhimentos do ICMS na chegada da mercadoria a São Paulo.

Novos detalhes

Na segunda fase da operação, foram identificados, em âmbito federal, elementos que evidenciam a omissão de receitas e interposição fraudulenta de pessoas, o que configura sonegação das Contribuições do PIS e Cofins, além do Imposto sobre Renda das Pessoas Jurídicas e da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido.

A Bifarma publicou uma nota oficial onde afirma que ainda não há o que declarar, mas que os sócios se reuniram e, em breve, tudo será esclarecido.

Fonte: CNN e Abradilan

Veja também: Operação investiga grupo que desviou ao menos R$ 10 milhões do Farmácia Popular, diz PF

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on google
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email
Share on print
Millenium distribuidora referência no mercado pharma Espírito Santo e Rio de Janeiro

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Receba nossa Newsletter

Para notícias e ofertas exclusivas, digite seu e-mail abaixo.

Conquiste Seguros

Receba as principais notícias pelo nosso grupo

curta nossa fanpage

Mais lidas

Vídeo - É de Farmácia

Televendas Zamboni
Fechar Menu