EnglishPortugueseSpanish

Franquias de farmácias: vale a pena aderir a uma?

Lucas Procópio fala sobre o mercado de franquias no Brasil
Foto: Humberto Teski

O É De Farmácia do dia 20 de agosto recebeu a presença do gerente de Negócios das Drogarias Max, Lucas Procópio, para falar sobre o mercado de franquias de farmácias no Brasil atualmente e quais são as expectativas para o futuro.

Momento atual

Atualmente, o mercado de franquias acompanha a média de crescimento do setor. “Com o cenário de inflação abaixo da média estabelecida nacionalmente e o PIB com tendência de queda, acreditamos que segmentos de franquia em diversos setores ainda tem muito a crescer”, comenta Procópio.

A Associação Brasileira de Franchising (ABF) faz o controle de quantas redes existem atualmente no País – 44 redes registradas –, mas nem todas informam dados atualizados, o que impossibilita contabilizar o número correto.

Farmácias independentes devem migrar para franquias?

O gerente de Negócios argumenta que ser uma farmácia independente não é mais uma opção, mas uma necessidade. “Cada vez mais a concentração de vendas no mercado independente, segundo fontes como IQVIA e Close-up, vem diminuindo em valor. Enquanto isso, o mercado de franquia e associativismo apresenta crescimento”, comenta.

Essa expansão se deve ao fato de as redes terem se especializado e se profissionalizado, principalmente com o uso de novas tecnologias. “Um empresário médio que tenha uma loja com faturamento alto tem um custo operacional elevado também, que a franquia pode assumir por fazer em grande escala”, explica Procópio.

Por exemplo, os custos com ações nos pontos de venda, marketing em redes sociais, departamento jurídico e contabilidade passariam a ser da rede franqueada. “A franquia já tem um pacote de serviços muito extenso, o que favorece o franqueado, liberando-o para cuidar de outros aspectos do negócio”, analisa o especialista.

Passo a passo para se franquear

Existem duas formas para iniciar o processo: a primeira é abrir uma loja que ainda não existe; a segunda, reformar uma que já está no mercado. Antes de tudo, para o primeiro modelo, o empresário deve ter a certeza de que se identifica com a franquia, com a marca e os valores propostos. “Depois dessa avaliação, em conjunto com a franquia, precisa entender a capacidade financeira, o tamanho do negócio, em que nível a franquia vai conseguir dar suporte”, explica Lucas Procópio.

Para o segundo modelo, também é necessário se identificar com a franquia, mas se deve pensar em custos de layoutização. “O empresário vai precisar se identificar com a rede escolhida, seja no letreiro, seja no uniforme, ou mesmo em outros pontos”, continua o gerente.

O custo para realizar essas mudanças varia de acordo com o tamanho e o investimento de cada farmácia, mas a franqueadora sempre apresenta um projeto mostrando o retorno financeiro. “Os esforços valem a pena por conta de melhores condições comerciais, maior expectativa de venda e mais clientes na loja”.

Assista ao programa completo no canal da Ascoferj no Youtube.

Veja também: Como vender mais produtos de beleza na farmácia?

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on google
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email
Share on print
Maxcenter Drogarias Max

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Receba nossa Newsletter

Para notícias e ofertas exclusivas, digite seu e-mail abaixo.

City Farma - Invista na abertura de um bom negócio

Receba as principais notícias no seu Whatsapp

curta nossa fanpage

Mais lidas

Vídeo - É de Farmácia

Televendas Zamboni
Fechar Menu