EnglishPortugueseSpanish

Tão urgente quanto a Reforma da Previdência é a Reforma Tributária

Setor farmacêutico e sociedade devem se mobilizar e lutar pela desoneração dos medicamentos.
Reforma tributária e desoneração de medicamentos
Tão urgente quanto a Reforma da Previdência é a Reforma Tributária | Crédito: Shutterstock

O economista Roberto Campos, falecido em 2001, é autor da frase: “No Brasil, empresa privada é aquela controlada pelo governo e empresa pública é aquela que ninguém controla”. Mesmo já passados 18 anos de seu falecimento, essa afirmação é pertinente aos dias atuais.

Já o atual ministro da Economia, Paulo Guedes, destacou, em um dos seus recentes pronunciamentos, o absurdo de existirem atualmente, no Brasil, 418 estatais nos âmbitos federal, estadual e municipal, sendo que, juntas, essas companhias empregam mais de 800 mil pessoas, com cerca de 500 mil atuando no governo federal, e estão, em quase sua totalidade, deficitárias, sendo subsidiadas pelos tributos dos contribuintes.

Já no Congresso Nacional, a mídia acompanha diariamente a pauta prioritária da Reforma da Previdência, tema de completo interesse de toda a sociedade, mas simultaneamente o País necessita, urgentemente, de uma Reforma Tributária, pois é também um pilar para o equilíbrio das contas públicas.

Veja também: Burocracia e emaranhado de leis quase enlouquecem empresários, mas o Brasil tem jeito

Sistema tributário brasileiro favorece os mais privilegiados

Certamente nosso sistema tributário é de uma complexidade inigualável, quando comparado ao de qualquer nação do mundo, criando oportunidades para os mais privilegiados. Para o empresário do varejo farmacêutico, é extremamente difícil entender as normas criadas pelos órgãos responsáveis. Exemplo: cálculos tributários diferentes para um mesmo grupo de produtos adquirido em diferentes fornecedores. Dessa forma, o estabelecimento pode cometer involuntariamente irregularidades, já que não consegue distinguir a fórmula correta de apuração do imposto.  Somam-se a esse problema as variações tributárias em compras em estados diferentes, tornando ainda mais complexa a apuração correta do imposto.

Não bastasse a dificuldade da precificação do medicamento e o fato de comercializarmos remédios para a saúde da população, a Reforma Tributária precisa considerar também uma redução da carga que incide sobre os medicamentos. Para se ter uma ideia, 1/3 do valor de cada caixa vendida, no País, corresponde a impostos.

É razoável entender que, com acesso facilitado à aquisição do medicamento, as pessoas poderiam prevenir o agravamento das doenças e evitar uma possível internação, que é muito mais onerosa para o sistema de saúde, seja público ou privado.

Diante desse cenário, é necessária uma mobilização de todos que integram a cadeia do setor farmacêutico, com apoio da sociedade, para lutarem pela Reforma Tributária e a desoneração de tributos sobre medicamentos.

Convocamos os senhores parlamentares a erguer essa bandeira em favor dos empreendedores e da população enferma, já tão penalizada para manter o peso da máquina pública.

Aproveite e assista: Prepare-se para receber o fiscal na farmácia

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on google
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email
Share on print
Anuncie na Revista da Farmácia

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Receba nossa Newsletter

Para notícias e ofertas exclusivas, digite seu e-mail abaixo.

City Farma - Invista na abertura de um bom negócio

Receba as principais notícias no seu Whatsapp

curta nossa fanpage

Mais lidas

Vídeo - É de Farmácia

Smart Consulta Consultório Farmacêutico Inteligente - Seja um franqueado
Fechar Menu