EnglishPortugueseSpanish

Covid-19 deve aumentar número de óbitos de pessoas com câncer

Dados coletados por uma universidade de Londres mostram que pessoas com câncer podem vir a óbito durante pandemia da Covid-19 por dois motivos diferentes.
Pessoas com câncer podem vir a falecer durante pandemia de Covid-19
Foto: freepik

A pandemia da Covid-19 trouxe um cenário desafiador para o mundo, com a constante recomendação de isolamento social para diminuir o ritmo de contágio da doença. Contudo, para pessoas que sofrem com outras doenças, como o câncer, podem surgir outros agravantes.

O oncologista e um dos fundadores da plataforma de atendimento Missão Covid, Raphael Brandão, dá mais detalhes: “Pacientes oncológicos podem fazer parte do grupo de risco do coronavírus, pois podem ter o sistema imunológico comprometido. Especialmente aqueles que estão em uso de quimioterapia e os portadores de neoplasias hematológicas (leucemias, linfomas mieloma múltiplo). Também é muito alarmante a redução dos tratamentos ou do diagnóstico do tumor, pois as pessoas têm medo de ir até as unidades de saúde”, comenta ele.

Aumento do índice de óbitos

Um estudo publicado pela University College London mostra uma provável elevação do índice de mortalidade de pessoas com câncer em pelo menos 20% devido ao surto do coronavírus. Os pesquisadores apontam que, ao observar o contexto da Inglaterra, uma parte das mortes ocorrerá por conta da infecção pelo vírus, em virtude da baixa imunidade, enquanto o restante será acometido pelo atraso do diagnóstico ou do tratamento.

O estudo analisou também dados semanais de oito hospitais e constatou que, durante a pandemia, houve uma redução de 76% nos encaminhamentos de pessoas com suspeita de câncer e de 60% nas sessões de quimioterapia, possivelmente ocasionadas pelo medo da contaminação.

No Brasil, o cenário é parecido. Estimativas das Sociedades Brasileiras de Patologia e de Cirurgia Oncológica apontam que 50 mil brasileiros deixaram de ser diagnosticados com câncer desde o início da pandemia no País.

“Esse dado é muito preocupante, pois a detecção precoce do tumor é um dos principais fatores que conferem maiores chances de cura. Quanto mais avançada estiver a doença no momento da descoberta, mais agressivos e, muitas vezes, menos eficazes serão os tratamentos”, afirma Brandão.

Telemedicina é opção

Para reduzir o impacto da pandemia nos tratamentos de câncer que já estão em andamento, a telemedicina vem sendo uma das soluções. “As consultas online são uma maneira de manter o paciente em contato com a equipe médica sem a necessidade de sair de casa. Alguns medicamentos endovenosos que são aplicados no hospital, por exemplo, podem ser substituídos durante este período por outros orais, desde que sejam prescritos pelo médico e seu uso seja monitorado por ele, ainda que virtualmente”, esclarece o oncologista.

Veja também: PL determina recebimento remoto de receitas médicas por farmácias e drogarias

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on google
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email
Share on print
Millenium distribuidora referência no mercado pharma Espírito Santo e Rio de Janeiro

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Receba nossa Newsletter

Para notícias e ofertas exclusivas, digite seu e-mail abaixo.

Conquiste Seguros

Receba as principais notícias pelo nosso grupo

curta nossa fanpage

Mais lidas

Vídeo - É de Farmácia

Televendas Zamboni
Fechar Menu