EnglishPortugueseSpanish

Impacto da quarentena no varejo farmacêutico

A Kantar realizou um estudo sobre o comportamento de compra dos brasileiros nos três primeiros meses de 2020, e especialmente durante a quarentena, para avaliar os impactos no varejo farmacêutico.
Quarentena alterou o comportamento de compra do consumidor do setor farmacêutico
Foto: freepik

A Kantar, líder global em dados, insights e consultoria, realizou um levantamento sobre o comportamento dos brasileiros nos três primeiros meses de 2020, e especialmente no mês de março, quando os casos de coronavírus começaram a aparecer diariamente e a quarentena foi iniciada pela grande maioria das pessoas em todos os estados.

Preocupação com a saúde

A pesquisa revela que a população está mais preocupada com a saúde: 78% dos brasileiros procuram sair de casa apenas para atividades necessárias. Em janeiro e fevereiro deste ano, em comparação com o mesmo período do ano passado, 784 mil lares a mais compraram analgésicos, 330 mil compraram vitaminas – especialmente a C –, e 224 mil começaram a comprar antigripais.

Home office interfere nas compras

Outra mudança evidente foi o impacto do home office em hábitos muito estabelecidos, como o cuidado pessoal. A Kantar mensura que os riscos desse impacto cheguem à um bilhão de ocasiões, já que 21% delas são voltadas para o ato de se arrumar e ir ao trabalho ou à escola, e 4% voltadas para sair e socializar.

Um exemplo é que, nos Estados Unidos, a maquiagem enfrenta potencial de perda – cerca de 402 milhões de ocasiões – pelos diferentes costumes de se trabalhar fora ou em casa. Além disso, atividades como lavar o rosto e os cabelos também poderão ser alterados.

Setor HPPC

Quando se pensa em divisão por gênero, as diferenças se mostram mais relevantes, em que 15 categorias voltadas para mulheres poderão ser impactadas, como as maquiagens já citadas e seus removedores, sabonetes líquidos e em barra, cremes dentais, hidratantes faciais e corporais, depiladores e lâminas, desodorantes, fragrâncias e produtos para estilização, cuidado íntimo e banho.

Entre os homens, sete categorias deverão ser afetadas: xampus, produtos para banho, creme dental, ferramentas para estilização, fio dental, fragrância e antisséptico bucal. A Managing Director da Kantar Brasil, Elen Wedemann, fala sobre o assunto: “As mudanças nos hábitos em relação à barba tendem a ser importantes, considerando que 32% dos homens afirmam se barbear estritamente por motivos profissionais. O consumo de desodorantes também está em risco, considerando que 40% de suas ocasiões de consumo no Brasil são relacionadas a se preparar para trabalhar ou ir à escola”.

Mudança de comportamento

O impacto negativo no consumo dessas categorias ultrapassará o tempo de duração na quarentena, mudando a forma como o shopper ressurgirá após esse momento. Na China, por exemplo, compras mais conversadoras surgiram. Os clientes deram maior atenção aos benefícios dos produtos e buscaram aparelhos desinfetantes, levando em consideração o conceito de economia para tempos difíceis e redução de gastos desnecessários.

Veja também: Farmácias APP faz estudo sobre vendas durante pandemia de coronavírus

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on google
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email
Share on print
Millenium distribuidora referência no mercado pharma Espírito Santo e Rio de Janeiro

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Receba nossa Newsletter

Para notícias e ofertas exclusivas, digite seu e-mail abaixo.

Conquiste Seguros

Receba as principais notícias pelo nosso grupo

curta nossa fanpage

Mais lidas

Vídeo - É de Farmácia

Televendas Zamboni
Fechar Menu