EnglishPortugueseSpanish

MS amplia uso da cloroquina e CFF reforça autonomia do farmacêutico

O CFF reforça a autonomia do farmacêutico diante da diretriz do Ministério da Saúde sobre utilização de cloroquina no tratamento de Covid-19.
CFF reitera poder de farmacêuticos sobre tratamentos com cloroquina
Foto: shutterstock

O Ministério da Saúde (MS) divulgou novas orientações sobre o uso de medicamentos no tratamento precoce de pacientes com Covid-19 no Sistema Único de Saúde (SUS) e manteve o uso da cloroquina e hidroxicloroquina. Agora, esses medicamentos são indicados para gestantes, crianças e adolescentes, que passaram a fazer parte dos grupos de risco.

Com o objetivo de resguardar os direitos do paciente e também a autonomia e autoridade técnica dos profissionais farmacêuticos, o Conselho Federal de Farmácia (CFF) reitera as recomendações feitas no início do mês em carta aberta aos farmacêuticos e à sociedade.

Leia: CFF faz comunicado aos farmacêuticos sobre uso de cloroquina e hidroxicloroquina

Autonomia do farmacêutico

O CFF recomenda aos profissionais que, no ato da dispensação, utilizem sua competência técnica para avaliar, caso a caso, as necessidades do paciente. Dessa forma, poderão evitar danos graves à sua saúde, garantindo que os benefícios dos tratamentos sejam superiores aos riscos.

Os farmacêuticos deverão também verificar os aspectos legais da prescrição, incluindo os requisitos de retenção de receita, e se o termo de ciência e consentimento entre o médico e o paciente foi assinado.

Além disso, deverão orientar adequadamente os pacientes, usando linguagem simples e objetiva sobre os motivos de sua decisão e aconselhá-los a procurar o médico novamente. Caso o paciente resolva continuar com a opção do uso dos medicamentos, deverão aplicar o “Termo de Ciência e Responsabilidade”, que precisa ser preenchido em duas vias – uma fica com o paciente e a outra com o profissional.

Caso seja possível, os farmacêuticos deverão entrar em contato com o prescritor para tirar dúvidas ou resolver situações que possam beneficiar ou atender as necessidades do paciente.

Por fim, devem fazer o registro da tomada de decisão por meio do preenchimento da “Declaração do Farmacêutico Responsável”, e guardar uma cópia do documento para eventual comunicação ao Conselho ou às autoridades competentes.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on google
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email
Share on print
Millenium distribuidora referência no mercado pharma Espírito Santo e Rio de Janeiro

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Receba nossa Newsletter

Para notícias e ofertas exclusivas, digite seu e-mail abaixo.

City Farma - Invista na abertura de um bom negócio

Receba as principais notícias pelo nosso grupo

curta nossa fanpage

Mais lidas

Vídeo - É de Farmácia

Televendas Zamboni
Fechar Menu