EnglishPortugueseSpanish

Qual a visão das Vigilâncias Sanitárias sobre os serviços de saúde em farmácias?

No último dia 31 de outubro, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) divulgou, por meio de um webinar, os resultados de uma Consulta Dirigida cujo objetivo foi descobrir o que as Vigilâncias Sanitárias estaduais e municipais pensam sobre os serviços de assistência à saúde realizados em farmácias e drogarias.

Introdução do webinar

O webinar começa lembrando sobre a inovação que a Lei 13.021/2014 trouxe para o setor farmacêutico. Foi a partir dela que as farmácias passaram a ser enxergadas como unidades de prestação de serviços de assistência farmacêutica, à saúde e orientação sanitária.

A Anvisa, para entender os impactos dessa regulação, criou a Análise de Impacto Regulatório (AIR). Nesse caso, o objetivo foi captar informações sobre atividades de assistência farmacêutica em farmácias com ou sem manipulação a partir da visão das Vigilâncias.

Ações da Análise de impacto regulatório

Para formar o relatório do AIR, foram considerados o novo rito regulatório da Portaria nº 1.741/2018, que trata das diretrizes para a melhoria da qualidade regulatória da Anvisa; a Consulta Dirigida já citada; e o Diálogo Setorial para discutir os dispositivos Point-of-care em farmácias; entre outros.

Resultados da Consulta Dirigida

A Consulta, que aconteceu no período de 17 de junho a 21 de agosto de 2019, contou com a participação de 349 Vigilâncias Sanitárias estaduais e municipais. Todas as capitais do Brasil participaram, com exceção de Sergipe e Roraima.

No levantamento, a Anvisa descobriu que, na maioria das capitais, o assunto de inspeção em farmácias e drogarias está ligado ao subsetor da área de fiscalização de medicamentos, produtos para saúde e outros regulados.

A maioria das ações de licenciamento e fiscalização nos estados são realizadas pelo município (249). Em 69 casos, municípios e estados concedem o licenciamento e, em 28 casos, a licença fica por conta somente do Estado. Três Vigilâncias optaram por não responder.

Quanto aos tipos de serviços de assistência à saúde mais oferecidos em farmácias, apareceram no topo a aferição de parâmetros fisiológicos, como temperatura corporal e pressão arterial (85,96%), seguida de administração de medicamentos injetáveis (82,52%), aferição de parâmetros bioquímicos (69,34%) e aferição de outros parâmetros fisiológicos (25,21%).

Principais regulamentos regulatórios utilizados pelas Visas

Quando perguntada sobre quais normas sanitárias mais utiliza para realizar as inspeções, a maioria das Vigilâncias respondeu que é a RDC 44 (90,37%), seguida pelas normas específicas da Secretaria de Saúde Estadual (23,50%) e da Secretaria Municipal (9,74%). O percentual de 27,51% dos órgãos ainda utiliza outras normas sanitárias.

Aspectos relacionados à infraestrutura

Outro ponto perguntado às Vigilâncias foi em qual local das farmácias são realizadas as atividades de assistência à saúde. A maioria das farmácias respondeu que elas acontecem em áreas específicas para a realização das atividades (51,86%). Em segundo lugar, foram citados os espaços em que ocorrem orientação farmacêutica (34,67%).

Sobre o local da farmácia onde é realizado o serviço de vacinação, a maioria das farmácias nunca recebeu questionamento sobre a necessidade de uma sala exclusiva para tal atividade (37,54%), 24,64% não responderam, 22,92% quase não são questionados sobre o assunto e 14,90% são sempre questionados sobre a sala.

Informações sobre o processo de inspeção

Quando questionadas sobre quais documentos as farmácias geralmente apresentam durante a inspeção sanitária, as Visas responderam que:

  • Procedimentos escritos sobre o gerenciamento de resíduos de serviços de saúde (80,23);
  • Procedimentos sobre administração de medicamentos quando administrados na farmácia (66,48%);
  • Registro das manutenções e calibrações periódicas dos aparelhos utilizados para medição de parâmetros fisiológicos e bioquímicos permitidos na RDC 44/2009 (55,30%);
  • Registros referentes às atividades de assistência à saúde (52,15%);
  • Lista atualizada com identificação dos estabelecimentos públicos de saúde mais próximos (40,69%);
  • Protocolos relacionados à assistência farmacêutica (38,68%);
  • Registro de temperaturas máxima e mínima dos equipamentos de conservação das vacinas (32,66%);
  • Registro das capacitações para atividade de vacinação (21,49%);
  • Procedimento para o atendimento a intercorrências relacionadas à vacinação (16,05%).

Quanto às notificações e registros constantes em normas sanitárias federais realizados pelas farmácias:

  • Registro de uso da Declaração de Serviço Farmacêutico (67,05%);
  • Notificações de ocorrência ou suspeita de evento adverso relacionado às atividades de assistência em saúde (21,78%);
  • Notificações de ocorrência ou suspeita de queixa técnica relacionadas às atividades (14,33%);
  • Registro de informações referentes às vacinas aplicadas no SUS (13,47%);
  • Registro das informações sobre a origem da vacina (12,61%);
  • Notificações da ocorrência de eventos adversos pós-vacinação (EAPV) conforme Ministério da Saúde (9,17%);
  • Notificações da ocorrência de erros de medição conforme o sistema de notificações da Anvisa (12,32%);
  • Procedimentos para investigar incidentes e falhas que podem ter contribuído para erros de vacinação (7,16%).

As conclusões da Consulta Dirigida

Pode-se perceber que as Vigilâncias Sanitárias que responderam têm mais proximidade com a fiscalização da comercialização e circulação de produtos regulados do que com os serviços de saúde oferecidos em farmácias.

Além disso, a fiscalização se mostra descentralizada em praticamente todos os estados, mas o regulamento sanitário federal ainda é a ferramenta regulatória mais utilizada. Com a RDC 44/2009, as atividades de assistência à saúde foram ampliadas nas farmácias. Contudo os processos já se mostram desatualizados quanto ao que é definido como assistência farmacêutica pela Lei 13.021/2014.

Veja também: Anvisa abre CP sobre medicamentos isentos de prescrição

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on google
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email
Share on print
Maxcenter Drogarias Max

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Receba nossa Newsletter

Para notícias e ofertas exclusivas, digite seu e-mail abaixo.

City Farma - Invista na abertura de um bom negócio

Receba as principais notícias no seu Whatsapp

curta nossa fanpage

Mais lidas

Vídeo - É de Farmácia

Televendas Zamboni
Fechar Menu