EnglishPortugueseSpanish

Pesquisa mostra que consumidor prioriza preço na hora de comprar

Consumidores fazem pesquisa antes de comprar
Foto: shutterstock

O Instituto Febrafar de Pesquisa e Educação Continuada (IFEPEC), em parceria com o Núcleo de Economia Industrial e da Tecnologia (NEIT), do Instituto de Economia da Unicamp, realizou a Pesquisa de Comportamento do Cliente na Farmácia 2019 com quatro mil clientes em todo o País.

Os clientes foram selecionados de acordo com os agrupamentos do mercado farmacêutico: Abrafarma, outras redes corporativas, Febrafar, outros agrupamentos e farmácias independentes. Os clientes foram entrevistados ao sair das farmácias onde fizeram as compras.

Critérios para escolher uma farmácia

O resultado da pesquisa apontou que 64,95% dos entrevistados escolhem em qual farmácia compram seus produtos pelo quesito “preços mais baixos”, enquanto 24,50% afirmaram que a localização é um fator importante.

Além disso, fatores como estoque (6,25%), facilidade de estacionar (1,58%), possuir Farmácia Popular (1,35%) e bom atendimento (0,88%) também são considerados pela população na hora de escolher onde comprar.

O presidente da Febrafar, que solicitou a pesquisa, comentou sobre o resultado. “Por meio desse questionamento, observamos que o brasileiro está muito mais preocupado com o bolso, mesmo em produtos básicos como medicamentos. Contudo, não é o dinheiro que fará com que ele deixe de consumir”.

Falta de pesquisa de preços é destaque

Outra informação revelada é que a maioria da população não costuma pesquisar preços antes de comprar: 88,43% dos entrevistados nunca pesquisam, enquanto 8,70% afirmaram não ter pesquisado somente no dia da entrevista e 2,88% disseram pesquisar sempre.

Tamascia comenta sobre a contradição das respostas. “Embora os clientes apontem o preço baixo como principal fator da escolha da farmácia, a pesquisa demonstrou que os mesmos não fazem comparação de preços a cada compra e que comparações realizadas no passado e a percepção são pontos que levam o cliente a concluir que uma loja pratica preços competitivos”.

Foco durante as compras

A pesquisa mostrou que 80,68% dos clientes compraram o que precisavam, enquanto 16,20% fizeram a compra parcialmente. Apenas 3,13% não compraram o que pretendiam.

Entretanto, a troca de produtos, seja por outras marcas, seja por genéricos, é intensa: 28,83% dos clientes decidiram trocar, principalmente pelo preço (54,38%), pela falta do medicamento que desejavam (41,95%) e outros motivos (3,68%).

Na questão de genéricos, 75,45% dos clientes trocaram um produto de marca por eles, enquanto 24,55% trocaram o genérico por um de marca.

Além disso, foi constatada a pouca influência dos atendentes nessa troca. Em 84,20%, isso só ocorreu por iniciativa dos clientes, enquanto que, em apenas 15,80% dos casos, o direcionamento foi feito pelo atendente.

Veja também: Brasil é o 4º no ranking dos sorrisos, mas não sabe abordar o consumidor

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on google
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email
Share on print
Millenium distribuidora referência no mercado pharma Espírito Santo e Rio de Janeiro

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Receba nossa Newsletter

Para notícias e ofertas exclusivas, digite seu e-mail abaixo.

City Farma - Invista na abertura de um bom negócio

Receba as principais notícias pelo nosso grupo

curta nossa fanpage

Mais lidas

Vídeo - É de Farmácia

Televendas Zamboni
Fechar Menu