EnglishPortugueseSpanish

Profarma apresenta aumento nos resultados do segundo trimestre de 2019

Profarma tem crescimento nos lucros do segundo trimestre de 2019
Foto: shutterstock

A distribuidora Profarma acaba de divulgar os resultados do segundo trimestre de 2019. Nesse período, a receita bruta atingiu a marca de R$ 1,3 bilhão, representando um crescimento de 13% na comparação com o mesmo trimestre do ano anterior.

Crescimento em todas as áreas

O Ebtida (lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) registrou um aumento de 11% em relação ao segundo trimestre de 2018, chegando a R$ 31,8 milhões. Já no período acumulado entre junho de 2018 e julho de 2019, somou R$ 103,7 milhões, tendo uma alta de 67%.

Redução de pontos importantes

Já as despesas financeiras líquidas foram reduzidas em R$ 1,3 milhão em comparação com o mesmo período de 2018. Com isso, o lucro líquido foi de R$ 2,3 milhões, 53,3% maior que o lucro de R$ 1,5 milhão de 2018.

A dívida líquida consolidada ficou em R$ 448,5 milhões, em função do reajuste anual nos preços dos medicamentos autorizado pelo governo em março. O indicador ficou equivalente a 4,3 vezes, representando uma redução de 28,5% em comparação com o índice do ano passado.

O vice-presidente de Finanças e Relações com Investidores da Profarma, Max Fischer, fala sobre a evolução dos resultados operacionais. “Essa é a primeira vez, depois de anos, que o fluxo de caixa de um segundo trimestre do exercício apresenta geração positiva de caixa a partir das atividades operacionais: R$ 21,8 milhões no trimestre. Comparado ao mesmo período do ano passado, o aumento do caixa gerado nas operações foi de R$ 51,3 milhões, uma vez que, no 2T18, as atividades operacionais levaram à aplicação de caixa de R$ 29,5 milhões”, explica.

Outros dados da Profarma

O ciclo de caixa apresentou redução de 1,5 dia no período, atingindo 28,9 dias, totalizando uma diminuição de 3,2 dias nos estoques. O menor ciclo de caixa representou redução de capital de giro de R$ 20 milhões.

Além disso, o faturamento médio por loja foi de R$ 504 mil, com evolução de 5,4% em relação ao registrado no segundo trimestre de 2018. O tíquete médio foi de R$ 46,10, equivalente a um crescimento de 9%.

O ganho de eficiência operacional se reflete no Ebitda de R$ 7,6 milhões do trimestre, 29,5% superior ao do último ano, ainda que tenha tido uma redução líquida de 16 lojas no decorrer dos últimos 12 meses, totalizando 198 lojas.

A contribuição atingiu 7,9%, 0,5 p.p. acima e quase 2,0 p.p. superior à do primeiro trimestre do ano.

As informações completas, você encontra aqui.

Veja também: Brasil é o 4º no ranking dos sorrisos, mas não sabe como abordar o consumidor

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on google
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email
Share on print
Anuncie na Revista da Farmácia

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Receba nossa Newsletter

Para notícias e ofertas exclusivas, digite seu e-mail abaixo.

City Farma - Invista na abertura de um bom negócio

Receba as principais notícias no seu Whatsapp

curta nossa fanpage

Mais lidas

Vídeo - É de Farmácia

Smart Consulta Consultório Farmacêutico Inteligente - Seja um franqueado
Fechar Menu