EnglishPortugueseSpanish

Cuidado farmacêutico: resfriado ou gripe?

Resfriado e gripe no inverno
Foto: shutterstock

Responsável por grande número de internações hospitalares, as infecções das vias aéreas, geralmente, têm suas causas atribuídas a um resfriado ou a uma gripe. Essas duas doenças apresentam sintomas que podem ser confundidos, apesar de serem causadas por vírus diferentes, como, por exemplo, influenza, rinovírus, coronavírus, adenovírus, entre outros.

Por ser muito comum na população, quando surge um sinal de febre a maioria das pessoas se automedica para alívio imediato dos sintomas e por dificuldade de acesso aos centros de saúde, deixando de buscar atendimento médico. A maior parte dos medicamentos é de fácil acesso, não necessita de prescrição médica e é identificada pelo paciente como “segura e sem danos à saúde”. Por causa disso, o farmacêutico tem importante participação na orientação das pessoas em relação à diferenciação dos sintomas e aos medicamentos mais indicados para cada caso, promovendo o encaminhamento aos serviços de saúde mais adequados.

Geralmente a febre alta, seguida de dor muscular, dor de garganta, dor de cabeça, coriza e tosse seca, é o principal sintoma da gripe. A temperatura elevada é o mais importante sintoma e costuma permanecer por três dias. Após o desaparecimento da febre, a doença evolui e a tosse é um dos sintomas respiratórios mais presentes nessa fase, mantendo-se por cinco dias ou mais.

Complicações graves, como a pneumonia, podem levar o paciente à internação hospitalar. A transmissão do vírus influenza se dá diretamente por secreções de uma pessoa contaminada expelidas ao espirrar, tossir ou falar. A contaminação também acontece de forma indireta, pelas mãos, após contato com superfícies contaminadas, quando levadas à boca, olhos e nariz, durante o período de vida do vírus, que pode ser em torno de duas horas ou mais. A higienização das mãos evita a contaminação por superfícies.

O resfriado apresenta sintomas mais brandos, como febre baixa ou mesmo ausente, leve dor de garganta e no corpo, tosse, congestão nasal, e, geralmente, dura entre dois e quatro dias. A transmissão se dá como na gripe.

O tratamento inclui repouso, hidratação e medicamentos logo no início dos sintomas, para evitar agravos da doença. Existe uma grande variedade de antivirais cujo objetivo é aliviar os sintomas dessas doenças. As classes mais utilizadas são os descongestionantes de uso tópico ou sistêmico; os expectorantes/mucolíticos; os antitussígenos; os antipiréticos; os medicamentos para cefaleia; e as vitaminas. Além dos medicamentos isentos de prescrição, o farmacêutico também deve orientar o paciente para prevenção, participando da Campanha Nacional de Vacinação contra Influenza (gripe).

Gripe Resfriado
Febre acima de 38°C; dor de cabeça e pelo corpo; tosse moderada, seca ou produtiva; duração de 15 dias ou mais. Febre baixa ou nenhuma febre; espirros e coriza nasal; leve dor de garganta nos primeiros dias; tosse leve; duração em torno de 7 dias.

Veja também: Aprimorar atendimento a idosos torna-se prioridade para farmácias

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on google
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email
Share on print
Anuncie na Revista da Farmácia

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Receba nossa Newsletter

Para notícias e ofertas exclusivas, digite seu e-mail abaixo.

City Farma - Invista na abertura de um bom negócio

Receba as principais notícias no seu Whatsapp

curta nossa fanpage

Mais lidas

Vídeo - É de Farmácia

Smart Consulta Consultório Farmacêutico Inteligente - Seja um franqueado
Fechar Menu