EnglishPortugueseSpanish

CFF lança campanha para comemorar Dia Nacional do Uso Racional de Medicamentos

Farmacêutico mostrando um medicamento para compradora na bancada da farmácia
Foto: iStock

O Conselho Federal de Farmácia (CFF), em parceria com os 27 conselhos regionais, lançou a campanha “Saúde não é jogo”, para conscientizar a população sobre o uso descontrolado de medicamentos. A ação vai ao encontro do Dia Nacional do Uso Racional de Medicamentos, comemorado no dia 5 de maio.

Para tentar entender o comportamento da população brasileira quanto ao uso de fármacos, o CFF realizou, em parceira com o Instituto Datafolha, uma pesquisa para avaliar esse critério nos últimos seis meses.

O levantamento foi feito entre os dias 13 e 20 de março de 2019, em todos os estados do País, com pessoas maiores de 16 anos. A partir disso, pôde-se constatar que 77% dos brasileiros têm como hábito se automedicar. Quase metade dos pesquisados (47%) faz isso, pelo menos, uma vez por mês, enquanto 25% usam medicamentos sem supervisão médica todos os dias ou, ao menos, uma vez por semana.

Leia também: Reajuste dos preços dos medicamentos começa a valer a partir de hoje

Conheça alguns dados do levantamento

Um dos dados mais impressionantes descobertos com a pesquisa foi o alto número de pessoas que se automedicam a partir de uma prescrição médica. Nesses casos, a pessoa se consultou com um profissional da saúde, mas alterou a dose receitada por ele. Cerca de 57% dos entrevistados admitiram o comportamento, sendo a maioria homens (60%) e jovens de 16 a 24 anos (69%).

A justificativa para essa alteração foi o fato de os entrevistados acreditarem que os medicamentos fizeram mal ou que a doença já estava controlada (37% pensaram dessa forma). Outra justificativa foi o preço elevado dos produtos, o que fez cerca de 17% da população diminuir as doses.

Outro ponto observado é que 22% das pessoas entrevistadas tiveram dúvidas sobre a dose e as contraindicações na bula, e cerca de um terço deles não procurou esclarecê-las. Entretanto, as fontes mais escutadas ainda são os médicos, sendo seguidos da internet, da bula e dos farmacêuticos.

Ficou claro também que a automedicação é mais presente entre o público feminino, já que 53% das entrevistadas afirmou que utiliza medicamentos por conta própria, pelo menos, uma vez ao mês.

Entre as regiões do País, a que se mostrou mais consciente quanto à importância de consultar um profissional de saúde antes de comprar um medicamento foi a Sul, onde 29% dos entrevistados afirmaram seguir essa linha de pensamento.

Questões como quais são os medicamentos mais utilizados, de que forma são adquiridos e como são descartados também foram incluídas na pesquisa. Para acessar o resultado completo, acesse aqui.

Importância dos farmacêuticos na campanha

O presidente do CFF, Walter da Silva Jorge João, explica que contar com o auxílio de profissionais antes de usar medicamentos por conta própria é muito mais seguro. “Vamos trabalhar para que a população entenda que ela tem ao seu alcance, nas farmácias, um profissional da saúde especialista em medicamentos, que é o farmacêutico. Muita gente não sabe, mas o farmacêutico pode inclusive prescrever os medicamentos isentos de prescrição (MIPs)”.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on google
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email
Share on print
Millenium distribuidora referência no mercado pharma Espírito Santo e Rio de Janeiro

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Receba nossa Newsletter

Para notícias e ofertas exclusivas, digite seu e-mail abaixo.

City Farma - Invista na abertura de um bom negócio

Receba as principais notícias pelo nosso grupo

curta nossa fanpage

Mais lidas

Vídeo - É de Farmácia

Televendas Zamboni
Fechar Menu