Euromonitor revela as 10 principais tendências globais de consumo para 2021

Euromonitor revela tendências de consumo para 2021
Foto: shutterstock

A Euromonitor Internacional, empresa que estuda estratégias de mercado, publicou um documento com informações sobre as principais tendências de consumo para o ano de 2021 em todo o mundo. Além disso, traz insights sobre as transformações nos valores e nos comportamentos dos consumidores em relação ao mundo dos negócios.

De acordo com a análise da Euromonitor, o novo pensamento dos clientes surgiu a partir da abrupta mudança de costumes e rotina causada pela pandemia da Covid-19 no início do ano passado. Agora, a preocupação deles é sempre com o bem-estar pessoal e da humanidade, tornando o consumo mais consciente.

Confira abaixo a lista completa das dez tendências para 2021:

1 – Reconstruir melhor

Com a pandemia, a visão dos consumidores sobre o funcionamento das empresas sofreu uma grande mudança. O importante para eles é que as companhias se preocupem verdadeiramente com os interesses e a saúde da sociedade e do planeta, prezando pela sustentabilidade em vez do lucro no processo de reconstrução do mercado.

A Euromonitor realizou uma pesquisa entre os meses de janeiro e fevereiro de 2020 que indica que o público deseja comprar somente de empresas que contribuam para a diminuição do uso de plástico, se preocupem com as mudanças climáticas, utilizem a reciclagem em seus processos, tenham valores político-morais positivos e façam doações às instituições e ONGs que estejam alinhadas aos valores.

2 – Desejo por conveniência

Antes da chegada do coronavírus, era rotina que os clientes realizassem suas compras nas lojas físicas. Mesmo com a flexibilidade advinda do e-commerce, muitas pessoas desejam poder voltar a vivenciar a experiência de compra completa. Estes são, em sua maioria, maiores de 60 anos, que preferem escolher pessoalmente o melhor produto.

Contudo, a rapidez, a praticidade e o uso da tecnologia das compras online continuarão sendo exigidos no pós-pandemia, pois o cliente está determinado a diminuir o tempo em que fica dentro da loja. Programas de fidelidade também são importantes para o público.

3 – Oásis ao ar livre

A proibição de aglomerações fez com que muitas empresas recorressem a espaços ao ar livre para ocorrência de suas atividades. Os consumidores viram com bons olhos essa mudança, principalmente pelo fato de precisarem ficar em casa fazendo home office. Muitos passaram a refletir sobre a vida fora das áreas urbanas.

4 – Realidade “figital”

Após a constatação de que o mundo digital nunca mais se separará do físico (“figital”), está claro que as empresas precisam encontrar formas de proporcionar boas experiências de compra integrando os dois mundos. Inteligência artificial, realidade aumentada e realidade virtual precisam ser foco das companhias em 2021.

5 – Otimizando o tempo

Com a velocidade das informações e das ações, os consumidores precisam ter suas agendas otimizadas para que consigam resolver tudo o que devem fazer na vida profissional, pessoal, familiar e social.

Uma das formas de auxiliar nessa questão é o fornecimento dos serviços 24h ao dia, para que as pessoas consigam ter suas demandas atendidas quando lhes melhor convir.

6 – Inquietos e rebeldes

A chegada da pandemia foi a gota d’água para que a população perdesse o medo de se manifestar politicamente. Esta é uma excelente oportunidade para as empresas, que podem apoiar os indivíduos por meio de ações mais precisas de marketing nas redes sociais e dando voz aos consumidores.

7 – Obsessão por segurança

A circulação de informações sobre questões de saúde explodiu durante a pandemia da Covid-19. O medo do contágio e a demanda por produtos de higiene pessoal e da casa sofreram um aumento elevado. É justamente por esse motivo que as empresas necessitam mostrar aos clientes que de fato higienizam os ambientes, passando segurança para todos os que estiverem na loja.

8 – Abalados e reflexivos

Uma das principais mudanças trazidas pela Covid-19 foi a preocupação com a saúde mental e emocional. Passar tanto tempo dentro de casa fez com que as pessoas refletissem sobre a importância do equilíbrio entre o físico e o mental, procurando alterar seus hábitos.

Hoje as pessoas têm como prioridade o seu bem-estar psicológico, passando a tratar sintomas de estresse e depressão antes que eles virem um problema mais sério. Isso faz com que os consumidores estejam abalados e reflexivos, reavaliando suas prioridades e identidades, reformulando o equilíbrio entre vida pessoal e profissional. Consequentemente, seus hábitos de compra foram mudados levando isso em consideração.

9 – A ordem é pechinchar

O estilo de compra foi modificado: produtos supérfluos estão deixando de ser comprados devido à incerteza do cenário econômico. A partir dessa mudança de pensamento, muitas marcas genéricas e próprias acabam ganhando espaço por seu menor valor. Os clientes estão cada vez mais pensando em poupar dinheiro.

10 – Novos espaços de trabalho

A constante permanência em casa por causa do home office fez com que muitas pessoas acabassem não conseguindo colocar fim em suas jornadas de trabalho. Contudo, as empresas precisam apoiar esses indivíduos, respeitando o limite de tempo dedicado ao âmbito profissional.

Veja também: Pós-pandemia: mudanças no varejo farmacêutico serão irreversíveis

 

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on google
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email
Share on print

Notícias Canal Farma

Receba notícias, conteúdos e vídeos do YouTube sobre o setor farmacêutico com nosso canal no Telegram.

Millenium distribuidora referência no mercado pharma Espírito Santo e Rio de Janeiro

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.